Nesta obra, Sabrina Rodrigues Garcia Balsalobre investiga a linguagem empregada por jornais que “se dedicavam aos homens de cor” – como O Alfinete, O Kosmos e O Clarim d’alvorada –, comparando-os com o modelo linguístico do jornal O combate, importante veículo de comunicação paulista no início do século passado. O enfoque da autora são as formas de tratamento empregadas nestes jornais. Ou seja, como os redatores se dirigiam aos personagens das notícias e aos leitores. O estudo sociolinguístico de Balsalobre toma por base os valores atribuídos à população negra por meio de um “corpus jornalístico” e analisa pontos de interseção entre a história interna e externa da língua portuguesa (e, sobretudo, as formas de tratamento empregadas pela população negra e pelos grupos sociais dominantes).