Neste livro discorreu-se sobre os fundamentos e problemas específicos do Direito Sanitário
e da Deontologia, com o propósito de relacioná-los com as atribuições do farmacêutico. As aproximações
entre a Ética e o Direito são complexas. Os autores fazem uma análise dessa situação,
mas principalmente descreve os quesitos éticos e jurídicos que requerem respostas urgentes. Tais
questões evidenciam a existência de uma realidade fatual (“aquilo que é“) e de uma realidade
normativa (“aquilo que deve ser”). Na tentativa de transformar “aquilo que é” em “aquilo que
deve ser” o farmacêutico se apresenta como um ser moral. Recomendamos esta obra como texto
imprescindível à formação dos futuros profissionais de saúde nas Instituições de Ensino Superior
e no labor daqueles que militam ativa e responsavelmente neste ramo de atividade sanitária.