Trabalho analisa conjunto de obras de Adolfo Caminha

Adolfo Caminha: um polígrafo na literatura brasileira do século XIX, lançamento do selo Cultura Acadêmica, analisa o conjunto do trabalho de Adolfo Caminha, definindo-o como um polígrafo na literatura brasileira do século XIX, no período compreendido entre 1885 a 1887. Aquele século, de acordo com Arnold Hauser em História social da arte e da literatura, teve início em 1830 e foi palco de uma modernidade artística e literária inédita. Essa época foi marcada também por transformações profundas na sociedade brasileira com a Abolição da Escravatura, em 1888, e a Proclamação da República, em 1889. O autor de Adolfo Caminha, Carlos Bezerra, destaca que, nesse momento, a economia ganhou grande destaque graças à entrada do país no sistema capitalista de produção como mercado consumidor de bens industrializados. Já no setor literário, consolidou-se a chamada era nacional iniciada pelo romantismo, trazendo o realismo e o naturalismo ao centro da literatura e inserindo temas nunca antes discutidos, como a questão do negro, do pobre, do escravo e do homossexual. Neste sentido, Adolfo Caminha representou todos esses sujeitos, principalmente em obras como Bom-Crioulo. Dividida em cinco capítulos, o autor mostra o porquê de Adolfo Caminha ter sido considerado um polígrafo. A obra inicia-se com a análise da formação e a construção da identidade de Adolfo Caminha, pesquisando as condições materiais e intelectuais de produção da literatura no período. Já na segunda parte é analisada a atuação política de Adolfo Caminha na república das letras. Nos últimos capítulos, Bezerra disseca sobre a atuação do autor como editor e crítico literário, uma vez que ele editou dois periódicos O Diário e d’A Nova Revista. Sobre o autor – Doutor em Letras na área de Literatura e Vida Social pela Faculdade de Ciências e Letras da Unesp, campus de Assis (2009). Mestre em Letras na área de Literatura Brasileira (2004) e especialista em Investigação Literária (2002), ambos pela Universidade Federal do Ceará. Graduado em História (1999) por esta mesma universidade. Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Crítica Literária, atuando principalmente nos seguintes temas: Adolfo Caminha, Literatura e Crítica literária brasileiras do século XIX, Literatura e História, Literatura e Cidade, Literatura, História e Memória.

Estudo sobre Cecília Meireles resgata expressão lírica feminina na América Latina

8 de novembro de 2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *