Pesquisa investiga processo criativo do escultor e ceramista Francisco Brennand

Por que um artista cria, de onde partem suas ideias, como é seu método para elaboração de sua obra, seu processo de execução? Foram estes os questionamentos que levaram a educadora e artista Camila da Costa Lima a analisar detalhadamente a vida e o trabalho do renomado ceramista brasileiro Francisco Brennand. O resultado está agora publicado em Francisco Brennand – Aspectos da construção de uma obra em escultura cerâmica, lançamento do selo Cultura Acadêmica. O estudo busca identificar os elementos de inspiração e temas – como, por exemplo, origem da vida e mitologia – que motivaram o artista em cada uma de suas esculturas, únicas em sua técnica e estilo. “Seus temas, ideias e formas superam nacionalidades e regionalismos”, diz a autora. Artista pernambucano e referência da arte brasileira contemporânea, o talento de Francisco Brennand nasceu do misto aprendizado europeu e brasileiro, que possibilitou grande conhecimento sobre as técnicas da cerâmica, os processos e transformações envolvidos na concepção de sua escultura, como modelagem, esmaltação e queima. Camila, que conheceu pessoalmente a Oficina Brennand, conta que “talvez meu olhar não fosse o mesmo se não tivesse presenciado a obra de Brennand in loco, conversado com monitores, visto funcionários trabalhando, conhecido os fornos, visto montanhas de barro ainda sem tratamento e sem forma.” Essa experimentação possibilitou profundo contato com a vida pessoal e profissional do artista. O livro, ricamente ilustrado por imagens de telas, painéis, murais até chegar às esculturas, se fundamenta nos aspectos biográfico, conceitual e técnico do artista. O primeiro resgata a carreira artística de Brennand, bem como os artistas e obras que o influenciaram durante sua formação como pintor e como ceramista. A parte conceitual abrange a variedade de técnicas e o “estilo brennandiano”, com suas crenças e reflexões. Por fim, a obra compreende as técnicas e os processos utilizados para a materialização das esculturas cerâmicas: como nasce, fisicamente, uma escultura cerâmica de Brennand? Sobre a autora – Camila da Costa Lima é graduada em Educação Artística, com habilitação em Artes Plásticas (2003) e mestre em Artes Visuais (2009) pela Unesp. Professora na rede pública de ensino do Estado de São Paulo. Tem experiência na área de Artes, com ênfase em Artes Plásticas, atuando principalmente nos seguintes temas: escultura, cerâmica, arte contemporânea, arte-educação.

Estudo sobre Cecília Meireles resgata expressão lírica feminina na América Latina

8 de novembro de 2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *