Pesquisa analisa a importância do grotesco na poesia de Bernardo Guimarães e Cruz e Souza

O que a poesia de Bernardo Guimarães, autor do consagrado romance A Escrava Isaura, e a do simbolista Cruz e Sou¬sa têm em comum? Para o pesquisador Fabiano Rodrigo da Silva Santos, os dois poetas são surpreendentemente próximos. Ambos estão, na literatura brasileira, entre os que mais se utilizaram do grotesco como recurso inerente a sua lírica e não apenas como intervenção esporá¬dica, como acontece com outros poetas. “As manifestações do grotesco na poesia de Bernardo Guimarães e Cruz e Sousa, possivelmente por estarem imbricadas à sua identidade lírica, estão entre as mais autênticas de nossa literatura. Por isso os dois poetas, cada um em seu contexto, estão entre os mais expressivos representantes do grotesco na nossa poesia de orientação ro¬mântica”, defende Silva Santos em a Lira dissonante, lançamento da Cultura Acadêmica Editora, obra em que apresenta uma análise das características e funções do grotesco na poesia lírica dos dois escritores. Esta categoria estética, presente em muitos dos poemas dos dois escritores, surge normalmente na forma de imagens estranhas e inesperadas que sugerem um universo lírico extravagante e rebelde, muitas vezes oposto às convenções estéticas tradicionais. O grotesco, nesse contexto, revela as dissonâncias e inovações previstas por muitos postulados românticos. A fim de explorá-lo na obra desses dois poetas, o trabalho de Fabiano Rodrigo da Silva Santos examina estéticas relacionadas ao Romantismo, Simbolismo e Modernidade e também algumas teorias do grotesco e sobre literatura brasileira. O estudo traz não apenas uma contribuição ao conhecimento e apreciação das realizações estéticas dos poetas, mas também mostra que o entendimento do momento histórico-literário e a própria leitura de suas obras exigem que se leve em conta o grotesco, uma estética baseada em rupturas e na busca por novas formas de expressão artística – aspectos que são típicos da lírica moderna. Sobre o autor – Fabiano Rodrigo da Silva Santos é graduado em Letras, mestre e doutor em Estudos Literários pela Unesp, câmpus de Araraquara. Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Estudos Literários, Língua Portuguesa, Literaturas de Língua Portuguesa, Língua e Literatura Latina, Literatura Brasileira e Teoria da Literatura.

Estudo sobre Cecília Meireles resgata expressão lírica feminina na América Latina

8 de novembro de 2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *