Filósofo se baseia em Kant para entender de forma mais profunda a existência humana

O complexo problema de pensar a moralidade e a ética como expressões de um princípio racional incondicionado, igualmente presente nas leis imutáveis da natureza, levou Hélio José dos Santos Souza a analisar os conceitos de boa vontade, dever, lei, imperativo, respeito, interesse e liberdade, acreditando que sem o conhecimento desses conceitos não é possível a formação de um homem de bem, um cidadão consciente. O resultado está em O problema da motivação moral em Kant, lançamento do selo Cultura Acadêmica. Aqui são procuradas respostas para perguntas como “Por que os homens são livres? No que consiste a liberdade humana? Como é possível a ação moral? Como um corpo submetido a leis naturais pode ser livre?”. E quando se projeta essas questões no sistema kantiano, especialmente a obra Fundamentação da metafísica dos costumes, há uma formulação mais elaborada, resultado de séculos de reflexão filosófica, que ajudam a repensar a realidade. O autor transforma uma questão técnica kantiana em algo apaixonante. Não apenas a descrição da coisa em si moral oriunda da racionalidade e sua manifestação por meio de imperativos categóricos que se impõem pela reflexão, mas o que motiva o homem a agir moralmente. Ou seja, o debate é sobre como é possível a nossa transformação em homens melhores apesar de sermos homens. Outras questões são estudadas pelo autor, como o medo da punição, a universalidade da razão, o desejo de felicidade, o equilíbrio psicológico, e o fato de os benefícios materiais não serem em si suficientes para compreender a riqueza e diversidade da experiência humana. Santos Souza apresenta ainda a discussão destes problemas por alguns dos grandes intérpretes da obra de Kant, o que enriquece filosoficamente a análise e as alternativas pertinentes. Trata-se de um trabalho aparentemente acadêmico que pode estabelecer a vocação filosófica de seus leitores, já que a reflexão sobre o que está em jogo é por si só um prazeroso exercício do filosofar. Sobre o autor – Hélio José dos Santos Souza possui graduação e mestrado em Filosofia pela Unesp (Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho), câmpus de Marília. Suas áreas de atuação em Filosofia estão relacionadas à História da Filosofia Moderna e Ética, em particular a Ética Kantiana.

Dermatologia ganha seu primeiro dicionário produzido a partir de modelos linguísticos

8 de novembro de 2017

Análise sobre processo educativos para trabalhadores da Saúde desvenda as particularidades do SUS

8 de novembro de 2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *