Estudos históricos mostram como os Estados Unidos interferiram na formação do Brasil republicano

Baseado na ligação entre a política interna e externa e o campo político no Brasil, A diplomacia da americanização de Salvador de Mendonça, lançamento do selo Cultura Acadêmica, aponta as especificidades do regime político brasileiro após 1889 e analisa como a política exterior, por meio da diplomacia, contribuiu para a formação destas características. Para isso relaciona a atuação de Salvador de Mendonça, um dos idealizadores do movimento republicano e diplomata do Brasil nos Estados Unidos, e a busca por um referencial na política externa, onde se buscava a legitimidade necessária para a boa condução dos interesses brasileiros no cenário internacional. A obra de Gabriel Terra Pereira apresenta os Estados Unidos como inspiração para as ideias de republicanização da esfera política brasileira, formando o necessário ponto de apoio à instável política interna brasileira. Maior representante dessa linha de atuação e americanista convicto, Salvador de Mendonça trabalhou pela aproximação – ou americanização – do Brasil, intervindo em três ocasiões: na Conferência Americana de 1889-1890 em Washington, na assinatura do Tratado de Reciprocidade Comercial de 1891 e durante a Revolta da Armada no Rio de Janeiro em 1893-1894. A diplomacia da americanização de Salvador de Mendonça faz a leitura e a seleção da política externa relativa ao período, combinando-a com a bibliografia sobre o diplomata. Assim, pode-se compreender, por exemplo, como durante os primeiros nove anos do regime republicano brasileiro, o conceito de republicanização aproximava-se da ideia de americanização, representada pelas referências buscas pelo apoio norte-americano nas questões internas de nosso país. Ao menos até a ascensão de Rio Branco ao cargo de ministro das Relações Exteriores, que formou um novo paradigma diplomático no país e no cenário internacional. Sobre o autor – Gabriel Terra Pereira tem experiência na área de História, com ênfase em História Contemporânea e História do Brasil republicano (Primeira República). Atualmente faz leituras no campo de intersecção entre a história e as relações internacionais com o objetivo de desenvolver projeto para doutoramento.

Dermatologia ganha seu primeiro dicionário produzido a partir de modelos linguísticos

8 de novembro de 2017

Análise sobre processo educativos para trabalhadores da Saúde desvenda as particularidades do SUS

8 de novembro de 2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *