Estudo questiona a ação pedagógica do filósofo frente ao problema de ensinar Filosofia

O ensino da Filosofia no limiar da contemporaneidade: o que faz o filósofo quando seu ofício é ser professor de Filosofia?, lançamento do selo Cultura Acadêmica, analisa o tema do ensino desta disciplina e discute o problema do ofício do filósofo quando sua tarefa é ensinar. Com o objetivo de contribuir tanto para a busca de outros sentidos a esta prática quanto para os estudos sobre o ensino, o tema aqui analisado e o problema discutido têm como ponto de partida as questões despertadas no exercício da docência em alguns cursos de graduação. Por meio de uma revisão bibliográfica sobre o ensino da disciplina no Brasil e da leitura de autores clássicos (principalmente Kant e Hegel), Rodrigo Pelloso Gelamo busca na literatura clássica relações com seu tema e nota que as discussões podem ser divididas em três grandes grupos: a importância, o conteúdo e o método para se ensinar a Filosofia. Assim, procura escapar das formas correntes de pensar a questão e recorre a Gilles Deleuze e Michel Foucault para propor outra maneira de encaminhar um questionamento de modo que o problema não seja sempre o mesmo. Com o auxílio de Walter Benjamin e Jacques Rancière, Gelamo trabalha ainda uma dificuldade do ensino, denominado empobrecimento da experiência, que é causado pela excessiva preocupação com a transmissão de conhecimentos por meio da explicação e pela desvalorização da experiência do filosofar. Estrategicamente, O ensino da Filosofia no limiar da contemporaneidade apresenta os principais resultados de um exercício de pensamento, como uma forma de testemunha desse movimento, à medida que o autor registra como objeto de pesquisa a sua própria vida de professor, sua prática docente e as questões que dela emergiam: um ensaio no ato de pensar o ensino da Filosofia. Sobre o autor – Rodrigo Pelloso Gelamo possui licenciatura em Filosofia pela Universidade do Sagrado Coração (1999), mestrado em Filosofia (2003) e doutorado em Educação (2009) pela Unesp, campus de Marília, cuja temática é a problemática do ensino da Filosofia na contemporaneidade, perspectivado desde a filosofia francesa contemporânea. Atualmente é professor do departamento de Didática da Faculdade de Filosofia e Ciências, da Unesp/Marília. Seu interesse de pesquisa está relacionado à problemática filosófica do ensino, especialmente ao ensino da Filosofia e à Filosofia da Educação.

Dermatologia ganha seu primeiro dicionário produzido a partir de modelos linguísticos

8 de novembro de 2017

Análise sobre processo educativos para trabalhadores da Saúde desvenda as particularidades do SUS

8 de novembro de 2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *