Economista desvenda causa espaciais do crescimento econômico do estado de São Paulo

São Paulo é o estado economicamente mais importante do país e se destaca pelo forte poder de atração que possui perante a população dos outros estados. Entretanto, sua dinâmica interna foi pouco estudada, principalmente no que se refere a sua complexidade espacial e geográfica. É esse o tema de Crescimento econômico no estado de São Paulo: uma análise espacial, lançamento do selo Cultura Acadêmica, que aborda as causas do crescimento econômico e dos desequilíbrios regionais verificados, em nível municipal, no estado de São Paulo entre 1980 e 2000. O trabalho realizado pelo economista Rodrigo de Souza Vieira relaciona o crescimento local com seus determinantes econômicos, sociais e geográficos, tais como educação, desemprego e composição da economia. Este estudo busca comparar o crescimento dos municípios paulistas por meio de fatores que o expliquem, levando-se em conta externalidades geográficas. De uma forma mais específica, se verificam as variáveis correlacionadas com as taxas de crescimento dos municípios paulistas, identificando o tipo de influência dos espaços externos na trajetória de crescimento desses municípios, captando seus efeitos, e identificando o tipo de interação espacial que melhor descreve o padrão apresentado pelos dados, a fim de contribuir para a discussão sobre as diferentes matrizes de pesos espaciais utilizadas na literatura de econometria espacial. Ao apresentar na introdução importantes dados da grande metrópole de São Paulo, discute também outras importantes cidades que fazem parte do estado e ajudam-no a crescer economicamente, influenciando de alguma forma na economia nacional. A obra de Vieira colabora para o entendimento de questões como o porquê de algumas cidades do estado serem mais bem-sucedidas do que outras nos últimos anos; se a prosperidade das cidades paulistas é resultado de fatores externos tais como localização ou choques setoriais, ou então, de políticas públicas individuais empreendidas por seus governantes; e qual o alcance potencial que políticas intervencionistas possam vir a ter no processo de desenvolvimento. Sobre o autor – Rodrigo de Souza Vieira possui mestrado em Economia pela Universidade Estadual Paulista (2008). Tem experiência na área de Economia, com ênfase em Estatística e Econometria, atuando principalmente nos seguintes temas: métodos estatísticos e quantitativos, economia regional e urbana, finanças e macroeconomia.

Estudo sobre Cecília Meireles resgata expressão lírica feminina na América Latina

8 de novembro de 2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *