O trabalho tenta discutir a relação entre crescimento urbano e sustentabilidade a partir da experiência de Maringá, cidade de porte médio do norte do Paraná com características únicas. Concebida por um engenheiro urbanista para ser uma espécie de “cidade-jardim” inglesa em solo brasileiro, a cidade teve seu projeto implantado por uma companhia colonizadora privada (cuja antecessora era britânica), o qual foi relativamente preservado pelos vários planos urbanísticos subsequentes.
Desse modo, apesar do inexorável empobrecimento da qualidade urbana e ambiental – condição comum às cidades brasileiras – Maringá continua próxima, urbanisticamente, de um equilíbrio dinâmico entre crescimento e sustentabilidade, que ainda pode ser plenamente atingido. Sobrepondo fatos a teorias, o autor discute as razões que levaram à curva descendente de qualidade urbana e a consequente desigualdade no acesso à tão almejada “cidade verde” em Maringá, os perigos que rondam esta quase utopia e os possíveis caminhos para alcançá-la.
Muito oportuno, o texto pode servir de referência para novos estudos sobre a paisagem urbana brasileira, ampliando o debate entre disciplinas e áreas de atuação e possibilitando novas abordagens para a questão da sustentabilidade.

Formatos

, ,

Ano

Dimensões

Páginas

Edição

ISBN

Autor

Pacelli Henrique Martins Teodoro (Autor)

Coleções

PROPG