A coletânea Na fronteira do poético: lírica, narrativa e drama constitui-se de 10 artigos de pesquisadores do GT “Teoria do Texto Poético” (ANPOLL), os quais se vinculam a diferentes Universidades brasileiras. Primeiramente apresentados e discutidos no “IV Encontro Nacional do GT Teoria do Texto Poético”, em Vitória, na Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), nos dias 19 e 20 de novembro de 2015, os textos que compõem o livro ora ofertado ao público incorporam esse caráter de debate, de diálogo e de pluralidade em torno da poesia e da crítica, inerente ao GT, com enfoque em seu exame contemporâneo. Contemporâneo menos por razão cronológica de publicação, mas pela perspectiva avaliativa de uma questão bastante atual: a tensa (in)definição das fronteiras entre o narrativo, o lírico e o dramático.

A epígrafe do livro é a célebre frase de Riobaldo, em Grande sertão: veredas: “O sertão não tem janelas nem portas”. Tal é o espírito da coletânea à vista, ao se abrir para ensaios que – tendo o texto poético como núcleo em torno do qual se gravita – segue a força mesma da literatura, que procura, incessantemente, livrar-se de limites que oprimem a manifestação da forma. Se “toda ação principia mesmo é por uma palavra pensada”, diz ainda o ex-jagunço, então, com esta obra, renovamos o convite para que o trânsito, dialético, entre os gêneros, entre a teoria e a práxis, entre a ética e a estética, entre a arte e a história se realize em plenitude.