O currículo, a pedagogia da alternância e os saberes docentes na educação física

Os desafios do processo de formação

Os autores utilizam como ponto de partida as diretrizes da formação básica do professor da Educação Física, pressupondo que essas diretrizes exigem tanto uma nova mentalidade quanto uma nova organização didático-curricular, além da revisão dos próprios referenciais na prática profissional.
A partir daí, desenvolvem uma série de questionamentos, debatendo se o novo currículo de formação em Educação Física – que passou a valorizar mais a prática – consegue de fato ir além do modelo acadêmico que privilegia uma formação teórica mais sólida. Discutem ainda se uma maior valorização da prática pode caracterizar a existência de um novo modelo de formação.
Dessa perspectiva, perguntam se é possível um currículo que não tenha na sua base a pedagogia da alternância, um sistema que remete à formação em dois contextos distintos e interdependentes: a formação em sala e as situações de trabalho. Também perguntam como a discussão dos saberes – conhecimentos, competências, habilidades e didática de ensino – deveria se desenrolar nessas duas esferas.