A autora examina a minissérie “Capitu” – dirigida por Luiz Fernando Carvalho e exibida pela Rede Globo em 2008 em homenagem ao centenário da morte de Machado de Assis – à luz do conceito de metaficção, ou mais precisamente de sua ligação com o teatro representacional. Trata-se, este, de um tipo de teatro tradicional, que não deixa o público esquecer que está diante de uma peça. Para autora, a minissérie traz a influência do pós-modernismo, não resultando meramente de um procedimento consagrado nas artes cênicas.

Para a pesquisadora, a utilização por Carvalho da essência contestadora intrínseca ao pós-modernismo, que diante dos moldes ficcionais existentes permanece ciente da própria ideologia e dos aspectos estilísticos a que pertence, resultando numa produção autocrítica, acaba por correlacionar a linguagem intimista e dialógica que o narrador machadiano mantém com o leitor na obra literária aos aspectos metaficcionais presentes no meio audiovisual.

Ao mesmo tempo, o diretor da minissérie constrói pontes diretamente para o núcleo do estilo machadiano: o da negação das ferramentas narrativas que criam a ilusão de realidade, deixando claro que suas palavras são conscientemente elaboradas e que o romance não é mais do que um objeto construído – e, assim como a minissérie, não a própria realidade.

Formatos

, ,

Ano

Dimensões

Páginas

Edição

ISBN

Autor

Flávia Giúlia Andriolo Pinati (Autor)

Coleções

PROPG